ESELx

Instituto Politécnico de Lisboa

Intervenção Precoce

Coordenador Marina FuertesEquipa de coordenação

Duração: 
- Tempo integral: 2 anos * 
* sem limite para Trabalhadores-Estudantes 

Funcionamento
Horário Pós-Laboral 

Contacte-nos:
s.academicos@eselx.ipl.pt

Curso acreditado (19-05-2016) pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES).

As vantagens do nosso curso

A Escola Superior de Educação de Lisboa no intuito de acompanhar a preocupação nacional e internacional de apostar na educação e na intervenção dos 0 aos 6 anos, propõe-se aprofundar e desenvolver esta área científica de formação e de investigação, criando o mestrado em Intervenção Precoce. O presente mestrado insere-se numa ciclo de atividades de investigação (financiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia) e de formação da Escola Superior de Educação de Lisboa na área da Educação da Primeira Infância e Intervenção Precoce, em com várias instituições académicas e científicas nacionais e internacionais com protocolo com o SNIPI (Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância). A parceria internacional inclui aulas conjuntas por vídeo conferências ou presenciais e a possibilidade de estagiar ou fazer a dissertação noutros países. Este curso transdisciplinar prepara os formandos para o exercício da intervenção precoce (para a avaliação e intervenção em casos reais) e está creditado junto do Centro de Formação Contínua de Braga permitindo o acesso de educadores e professores aos concursos de educação especial.

O curso foi acreditado como formação especializada pelo CCPFC, para aqueles que, à data da admissão sejam educadores de infância, professores do ensino básico ou professores do ensino secundário profissionalizados e com, pelo menos, 5 anos de serviço docente”, de acordo com o nº 2 do artigo 4º do Decreto Lei nº 95/97, de 23 de Abril. 

Registo: CCPFC/CFE-3012/15, Nº Créditos: 12
Modalidade: Parte Curricular de Mestrado, Destinado a: Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

* Mestrado reconhecido para efeito de progressão na carreira. Consulte a listagem com os grupos de recrutamento, AQUI

Principais características 

O decreto-lei nº281/2009 (DR, I série, nº 193) criou o Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância (SNIPI) que visa dar cobertura nacional às práticas de intervenção e a expansão das equipas de IP, designar áreas prioritárias, formalizar a necessidade de articulação dos serviços de educação, saúde e ação social e designar as competências das equipas locais. Tal medida, acarreta a necessidade de formar mais profissionais no âmbito da IP. Este curso insere-se nos objetivos da lei dado que: 

  • oferece formação a educadores e a outros a profissionais da infância e da família com elevado nível de preparação científico, técnico e pedagógico; 
  • permite a realização de atividades de investigação; 
  • oferece um programa de formação-reconversão com vista à formação contínua e permanente dos técnicos; 
  • favorece o intercâmbio com instituições públicas ou privadas, nacionais e estrangeiras; 
  • pela intervenção dos profissionais formados neste curso pretende-se que este curso preste um serviço à comunidade. 

Competências a desenvolver 

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir pelos estudantes: 

  • capacidade de análise crítica sobre a legislação e literatura científica em Primeira Infância e Intervenção Precoce (IP);
  • aquisição de competências de observação e de intervenção directa com as famílias como: a identificação dos recursos e das necessidades da criança e da família, a identificação do plano dos apoios a prestar, o estabelecimento do plano individual de apoio à criança e à família, promoção de práticas ecológicas e avaliação dos resultados; 
  • aquisição de competências de observação alargada: avaliação do impacto dos contextos de vida e vários níveis ecológicos no desenvolvimento da criança; avaliação qualidade de vida criança;
  • aquisição de competências de intervenção: promoção de oportunidades de socialização e de desenvolvimento em domicílio; preparação das transições; e promoção de oportunidades de integração da família na comunidade; 
  • habilitação para o trabalho em equipa e estabelecimento de parcerias;
  • aquisição de competências de investigação e de comunicação de resultados.

Acesso

Critérios de seleção 

(Regulamento Geral dos Cursos de 2º Ciclo)

São admitidos a concurso os licenciados em Educação de Infância, Psicologia, Educação Especial e Reabilitação, Enfermagem, Medicina, entre outros cursos ligados à primeira infância e à família.

Critérios de seriação 

A seleção e a seriação dos candidatos serão realizadas pela coordenação do curso com base na análise curricular. 
Os critérios principais de seleção serão os seguintes: 

  • Domínios e classificações académicas anteriores, 
  • Experiência no domínio da intervenção precoce ou em respostas sociais, educativas ou de saúde na área da primeira infância,
  • Outra experiência profissional relevante em áreas afins ao domínio do curso,
  • Participação em projetos de investigação ou de inovação no domínio do curso, 
  • Publicações e apresentação de comunicações no domínio do curso,
  • Funções desempenhadas em instituições ou áreas de interesse educativo.

Nota: A elaboração do currículo, conteúdos e sequência, deve ter em consideração os critérios acima referenciados, sem prejuízo da inclusão de outros elementos considerados pertinentes.

Funcionamento

Horário em tempo integral

Horário Pós-Laboral

  • Terças e Sextas -18h às 21h
  • Sábados - 9h e as 13h
  • Início – Setembro de 2015.

Os tempos de trabalho de campo e de trabalho de grupo estão integrados no horário do curso (apenas o estudo individualizado não está incluido). Ou seja, os formandos não requem de mais tempo para elaborar os trabalhos pedidos. 
Inicio: Setembro.

Estrutura do Curso

1º Ano

(1º e 2º Semestres) Coordenador Tipo Horas Créditos

Desenvolvimento e Aprendizagem na 1ª Infância

Dalila Maria Brito da Cunha Lino 1º Sem. 125 5

História das Ideias em IP e Educação

Marina Fuertes 1º Sem. 125 5
Infância, Sociedade e Direitos Catarina Almeida Tomás 1º Sem. 125 5

Observação Bioecológica em Intervenção Precoce

Francisco Manuel Marta Vaz da Silva 1º Sem. 250 10

Vinculação e Família: Prevenção e Intervenção

Marina Fuertes 1º Sem. 125 5

Metodologias de Investigação

Marina Fuertes 2º Sem. 250 10

Práticas de Intervenção precoce

Marina Fuertes 2º Sem. 250 10

Práticas Educativas com Crianças em risco de desenvolvimento

Francisco Manuel Marta Vaz da Silva 2º Sem. 125 5

Práticas Preventivas e Ed. dos 0 aos 3 anos (opção)

Dalila Maria Brito da Cunha Lino 2º Sem. 125 5

Psicossociologia das Organizações e gestão de equipas

[saber mais] Psicossociologia das Organizações, Formação e Gestão de Equipas de Intervenção Precoce
João Manuel dos Santos Rosa 2º Sem. 125 5

2º Ano

(3º e 4º Semestres) Coordenador Tipo Horas Créditos

Projeto de Intervenção ou Dissertação

Marina Fuertes Anual 1375 55

Sem. de Apoio ao Proj. de Inter. ou Dissertação

Anual 125 5

Plano de estudos (publicação em Diário da Républica)

Avaliação

Regime de frequência e avaliação

As normas relativas a frequência, avaliação, creditação e classificação estão contidas no Regulamento Geral de Avaliação e Frequência, o qual é elaborado e aprovado em sede de Conselho Pedagógico.

Creditação da formação anterior e experiência profissional 

(ver também Regulamento de Creditação

Os mestrandos podem requerer a creditação de: 

  • unidades curriculares singulares para outras unidades curriculares e/ou domínios científicos; 
  • currículo académico global para unidades curriculares ou domínios científicos. 

Avaliação

(ver também Regulamento Geral de Avaliação e Frequência)

O regulamento geral de avaliação pode ser consultado na página da ESELX.

No primeiro ano, as unidades curriculares são objeto de avaliação contínua com recursos a diversas metodologias. No primeiro semestre, o conjunto das unidades curriculares tem como objetivo preparar os estudantes para a avaliação bioecologica das forças e obstáculos relacionados com a criança, a familia, os contextos de vida, as relações, as transições, a cultura e a promoção dos direitos da criança e da família. No segundo semestre, todos os estudantes são implicados na construção de um plano de intervenção. Os trabalhos desenvolvidos são realizados com casos e equipas reais.

No segundo ano, os estudantes deverem elaborar uma dissertação com base numa pesquisa ou realizar um projeto.

Matrícula

 

Documentação
(esta documentação deverá ser entregue nos serviços académicos no início das aulas)

- 1 Fotografia;
- Comprovativo de morada;
- Deverá apresentar os Certificados originais das cópias enviadas anteriormente na candidatura, para serem autenticadas.

Propinas

A frequência do curso para o ano letivo de 2016/17 está sujeita ao pagamento de 1063,47€.
Este pagamento pode ser efetuado de uma só vez, no ato de matrícula e inscrição, ou em 6 prestações nas seguintes datas:
1ª prestação (no ato da matrícula/inscrição) - 265,87 €
2ª prestação (até 31 de janeiro de 2017) - 159,52 €
3ª prestação (até 28 de fevereiro de 2017) - 159,52 €
4ª prestação (até 31 de março de 2017) - 159,52 €
5ª prestação (até 30 de abril de 2017) - 159,52 €
6ª prestação (até 31 de maio de 2017) - 159,52 €

São ainda devidas:
Taxa de inscrição – 40 € (paga no ato de matrícula/inscrição)
Seguro escolar - 1,25 € (paga no ato de matrícula/inscrição)

* Os cooperantes da Escola Superior de Educação de Lisboa beneficiam de uma redução de 30% no valor global da propina.

E-mail de contato: s.academicos@eselx.ipl.pt